domingo, 2 de agosto de 2015

O pequeno número daqueles que são salvos. Parte V

A bondade de Deus 
Talvez você ainda não crêem as terríveis verdades que acabo de lhe ensinou. Mas é a  maioria  dos  teólogos  altamente  considerado,  a  Padres  mais  ilustres  que  têm falado  com  você  através  de  mim.  Então,  como  você  pode  resistir  razões  apoiado por tantos exemplos e palavras das Escrituras? Se você ainda hesita, apesar disso, e  se  a  sua  mente  está  inclinado  a  opinião  contrária,  isso  não  conta  muito  é suficiente para fazer você tremer? Ah, isso mostra que você não se importa muito para a sua salvação! Neste assunto importante, um homem sensato é atingida mais fortemente pela menor dúvida do risco que ele corre pelo título de ruína total, em outros assuntos em que a alma não está envolvido. Um dos nossos irmãos, o Beato Giles,  tinha  o  hábito  de  dizer  que  se  apenas  um  homem  estava  indo  para  ser condenado,  ele  faria  todo  o  possível  para  ter  certeza  que  ele  não  era  aquele homem. Então  o  que  devemos  fazer,  nós  que  sabemos  que  o  maior  número  vai  ser condenado, e não apenas fora de todos os católicos? O que devemos fazer? Tome a resolução de pertencer ao pequeno número daqueles que são salvos. Você diz: Se Cristo quis condenar-me, então por que Ele me criou? O silêncio, a língua erupção! Deus não criou ninguém para condená-lo, mas  quem é maldita, é maldita, porque ele  quer  ser.
Portanto,  agora  vou  lutar  para  defender  a  bondade  de  meu  Deus  e absolver o de toda a culpa: que será o tema do segundo ponto. Antes  de  ir,  vamos  nos  reunir  em  um  lado todos os livros  e  todas  as  heresias de Lutero  e  Calvino  e,  do outro lado  os  livros  e  as  heresias do pelagianismo  e  semi-pelagianos, e vamos queimá-las. Alguns destroem a graça, a liberdade dos outros, e todos estão cheios de erros, então vamos lançá-los no fogo. Todos os condenados incidindo sobre  seu rosto o oráculo do profeta Oséias: ” Tua perdição vem de ti “, de  modo  que  eles  possam  entender  que  quem  está  condenado,  é condenado  por sua própria malícia e porque ele quer ser condenado. Primeiro,  vamos  levar  estas  duas  verdades  inegáveis,  como  base:  ”  Deus  quer que  todos  os  homens  sejam  salvos  “,”  Todos  estão  em  necessidade  da graça de Deus “. Agora, se eu lhe mostrar que Deus quer salvar todos os homens, e que para este propósito que Ele dá a todos eles a Sua graça e todo o necessário outro  meio  de  obter  o  efeito  sublime,  você  será  obrigado  a  concordar  que  quem está condenado deve imputar que a sua malícia própria, e que se o maior número de cristãos estão condenados, é porque eles querem ser. ” Tua perdição vem de ti, a tua ajuda é apenas em mim . ”

Nenhum comentário:

Postar um comentário