sábado, 12 de setembro de 2015

A Humildade da Santíssima Mãe de Deus, por São João Eudes.

Se perguntardes porque Deus considerou antes a humildade da Santíssima Virgem que a sua pure­za e suas outras virtudes, e todas nEla se achavam em grau elevadíssimo, responder-vos-á S. Alberto Magno, com Santo Agostinho, que considerou antes a sua humildade, porque Lhe era mais agradável que sua pureza.

"A virgindade é muito louvável, diz São Bernar­do, mas a humildade é necessária. Aquela é de con­selho, esta, de mandamento. Podeis ser salvo sem a virgindade, mas sem humildade não há salvação. Sem a humildade de Maria, ouso dizer que não te­ria sido agradável a Deus a sua virgindade. Se Maria não fora humilde, o Espírito Santo não teria descido a Ela; e se não houvera descido a Ela, Ela não seria Mãe de Deus. Ela agradou a Deus pela virgindade, mas concebeu o Filho de Deus pela hu­mildade. Donde é necessário concluir que foi a hu­mildade que tomou sua virgindade agradável à di­vina Majestade".

Quem não possue humildade, nada possui; e quem possui humildade, possui todas as outras vir­tudes. Daí, resulta parecer, segundo as palavras do Espírito Santo pela boca da Igreja, que o Pai eter­no só enviou seu Filho a este mundo, para encarnar-­Se e ser crucificado, a fim de ensinar-nos a humil­dade com o seu exemplo. "O que o demônio des­truiu pela soberba, diz um santo Padre, o Salvador restabeleceu pela humildade".

Trecho do livro: Magnificat por São João Eudes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário