segunda-feira, 12 de outubro de 2015

As Virtude

As Virtudes Evangélicas ou Conselhos
 

1. As virtudes evangélicas são as que se referem às virtudes cardeais e que são especialmente aconselhadas no Evangelho, chamando-se por isso conselhos evangélicos.
2. São três: pobreza voluntária, castidade perpétua e obediência inteira, às quais se pode acrescentar a humildade cristã.
3. Pratica-se a pobreza voluntária renunciando, por amor de Deus, à posse dos bens terrenos.
4. Pratica-se a castidade perpétua vivendo castamente, abstendo-se não só de toda a sorte de pecado carnal, mas ainda do Matrimônio.
5. Pratica-se a obediência inteira, renunciando, por amor de Deus, à própria vontade, para se submeter à dos superiores em tudo o que não seja pecado.
6. São três e não mais os conselhos evangélicos principais, porque são três os impedimentos da perfeição, os quais são anulados pelos ditos conselhos. Esses impedimentos são: o amor dos bens da fortuna, o amor dos prazeres carnais, o amor das honras mundanas.
7. Estes conselhos servem para observar mais facilmente os mandamentos de Deus e unir-nos mais estreitamente com Ele, sacrificando-Lhe todos os nossos bens.
8. Estes conselhos, quando se convertem em lei por meio dos votos solenes, formam os estados perfeitos da religião cristã, que se chamam ordens religiosas ou religiões, segundo a regra de cada um dos fundadores.
9. A humildade é uma virtude pela qual, reconhecendo os nossos defeitos e fraquezas, referimos a Deus o pouco de bom que em nós encontramos. Leva-nos pois esta virtude a submeter-nos de coração não só aos superiores, mas ainda aos inferiores iguais.
10. Eis aqui como Nosso Senhor, no Evangelho, chama um jovem ao caminho da perfeição: “Então certo homem de posição fez-Lhe esta pergunta: “Bom Mestre, que devo fazer para obter a vida eterna?”. Jesus respondeu-lhe: “Porque Me chamas bom? Ninguém é bom senão só Deus. Tu conheces os mandamentos: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, nãos dirás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe”. Ele disse: “Tenho observado tudo isso desde a minha juventude”. Tendo Jesus ouvido isto disse-lhe: “Uma coisa te falta ainda: vende tudo quanto tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no Céu; depois vem e segue-Me”. Mas ele, ouvindo isto, entristeceu-se, porque era muito rico. Jesus, vendo esta tristeza, disse: “Como é difícil aqueles que tem riquezas entrem no Reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino de Deus”. Os que O ouviram disseram: “Quem pode então se salvar?” Jesus respondeu-lhes: “ O que impossível aos homens é possível a Deus”.” (Lucas XVIII, 18-27)
Explicação da gravura
11. A gravura superior à esquerda representa um exemplo de humildade dado por São João Batista. “Um dia, os judeus enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas a João para lhe perguntar: “Quem és tu?” E ele confessou e não negou: “Eu não sou o Cristo, nem Elias, nem profeta”. E os enviados perguntaram-lhe: “Porque pois batizas, se tu não és o Cristo, nem Elias, nem profeta?” João respondeu-lhes: “Eu batizo com água; mas no meio de vós está Aquele a quem não conheceis. Este é o que virá após mim, e já era antes de mim, do Qual eu não sou digno de desatar a correia das sandálias”.” (Jo III, 26)
12. Os primeiros cristãos praticavam de um modo perfeito a pobreza voluntária. Os que tinham terras e bens, vendiam-nos, e como se vê na gravura superior, à direita, traziam aos Apóstolos o valor deles, que depois era distribuído aos pobres.
13. A gravura inferior, à esquerda, representa um exemplo de perfeita obediência da São Tiago e de São João, filhos de Zebedeu. Um dia que estavam concertando as suas redes, Nosso Senhor chamou-os para serem seus discípulos. E eles logo deixando o barco, as redes e os pais, O seguiram.
14. Na parte inferior da gravura, à direita, está representado Nosso Senhor Jesus Cristo, o amigo dos corações puros, e ao pé Dele quatro santos que sobressaíram na castidade mais perfeita, que é a virginal. São, à direita do Salvador, Maria Santíssima e São João Batista; à esquerda São José, esposo de Maria e pai adotivo de Jesus e São João Evangelista, o Apóstolo predileto.
Fonte: São Pio V

Nenhum comentário:

Postar um comentário