domingo, 29 de novembro de 2015

Efeitos da devoção à Maria


1) “Minha lembrança é mais doce que o mel” (Ecl 24, 19). Estas palavras da Eterna Sabedoria se aplicam decorosa e oportunamente à Mãe da misericordiosa, da que nasceu Cristo, sol da justiça. Doce é Jesus doce é Maria, porque neles não há amargura alguma, senão suma piedade, mansidão, caridade e imensa misericórdia. Feliz o que segue as pegadas do humilde Jesus e se dirige com devoção à sua Mãe, para encontrar graça ante eles. Portanto, fidelíssimo servidor de Deus, reúne em um caderno o que fez e ensinou Jesus, e te será mais útil que todos os tesouros do mundo. Medita freqüentemente nas ações e nas palavras de sua Santíssima Mãe, que serão de enorme consolo para a alma e mais perfumadas que todos os aromas.


2) O corpo ama os bons odores e se reanima com o sustento dos alimentos; a alma em troca se nutre, se robustece e se regozija com sólidas virtudes e santas meditações. Por isso, quanto maior for a dedicação para aperfeiçoar-se sob a guia e na escola dos mais nobres mestres, tanto mais eficazmente se aprende e, em breve tempo, se chega ao ápice da felicidade. Agora bem, os maiores mestres das virtudes e as mais destacadas luzes de toda santidade são Jesus e Maria, e são os que tens que propor a tua pequenez para modelos de imitação, como se estivessem diante de ti. A ambos deves unir-te, fazendo-te familiar seu, dedicando-te a eles; e, em qualquer circunstância em que ouças falar dos mesmos, detém-te a escutar com diligência cada ponto, e logo reflita-o longo tempo, e medita atentamente sobre o que suscita edificação e doçura.

4) Cada vez que estejas por recitar os divinos louvores ou por realizar qualquer ação, a só ou com os outros, eleva primeiramente os olhos ao céu e invoca com ternura Jesus e Maria, pondo-te entre súplicas sob sua vigilante proteção, fazendo a oferenda de si mesmo a seu beneplácito, a fim de que tua ação seja grata a Deus, útil ao próximo e meritória para ti. Que tua mente seja sempre pura, tua vontade decidida, discreto seu trabalho, controladas tuas palavras, bem acabadas suas ações. Que tudo se desenvolva para louvor de Jesus e de sua bendita Mãe.

4) Começa na terra a louvá-los, a venerá-los e a amá-los, para que possas merecer a graça de reinar com eles, bendizê-los e exaltá-los eternamente em união com os anjos e os santos. É bonito e suave louvar Jesus, e amável e gracioso louvar Maria. Louvá-los na alegria, louvá-los na tristeza, porque são dignos de todo louvor e devem ser igualmente invocados em qualquer circunstância. Quanto mais freqüente te exercitas em louvá-los, tanto mais crescerás em seu amor e te robustecerás na graça de sua devoção.

5) Eles não se esquecerão jamais de ti, enquanto tu não esquecê-los. Mas se desgraçadamente te esqueceres ou te comportares mal, se tua devoção de antes houver esfriado, terás que punir-te com oportunos castigos, deplorar com amargura teus maus passos, aprender a falar mais freqüentemente com Deus e custodiar com maior vigilância a graça que te foi dada. Recorda-te, pois, dos benefícios de Jesus e Maria, e lamenta tua negligência e a grave ingratidão em que insensatamente incorreste.

6) Feliz o que escuta com atenção as admoestações que Jesus lhe dirige, para que se corrija e, depois do amargo pranto, se sinta novamente arrebatado pelos felizes êxtases da alma. A compaixão de Jesus é maior que todos os pecados, e a benignidade de Maria não poderá esgotar-se jamais. Ó, se tu pudesses progredir muito no amor de Jesus, e servir digna e devotamente à sua bendita Mãe Maria! Mas, que poderias fazer tu, que nem sequer és digno de pronunciar seu nome, já que és frágil, tíbio, negligente e, em acréscimo, os ofende com freqüência de muitas maneiras? Como poderias louvá-los, se o louvor na boca de um pecador não é aceito, dado que santos podem ser somente os que são justos e dignos? Mas então, deves calar-te ou falar? Ai de ti, se não falas, mas ai de ti também se falas com lábios indignos. Em suma, que deves fazer para achar misericórdia e não incorrer em pecado?

7) Para conseguir a benevolência do benigníssimo Jesus e de sua muito misericordiosa Mãe, nada melhor há que humilhar-te em qualquer circunstância, submetendo-te a todos, mantendo-te sempre no último lugar e considerando-te sinceramente indigno e ruim. Se em troca te crês capaz de levar a cabo algo bom, toma consciência de tua nulidade. Somente assim poderás aplacar Deus, Jesus terá compaixão de ti e também Maria rogará por ti. Serás consolado em tua humildade, e não serás confundido diante deles, senão que receberás copiosos dons, enquanto elevas cantos de louvor. Se não és apto para louvá-los dignamente, procede do melhor modo possível, oferecendo o que tenhas, já que a boa intenção te ajudará até que estejas em condições de proporcionar melhores obséquios.

8) Os maiores e mais devotos louvam magnificamente; os que só têm um pouco de azeite, que o ofereçam de boa vontade ao Filho e o consagrem à Mãe da graça. Havia que fazer calar ante a excelência da glória e da dignidade do magnífico Filho de uma Mãe Virgem, mas como Maria não deprecia aos pequenos nem aos pecadores, admitirá misericordiosamente teu louvor dentro do coro dos que a louvam, como afirma o santo profeta: “O pobre e o miserável louvarão seu nome”. Isto devia dizer-se, mesmo que brevemente, segundo as próprias modestas possibilidades, mas com linguagem humilde e com sinceridade.

9) Acaso Jesus e Maria não foram os mais humildes sobre a terra? E, no entanto, não são os maiores do céu? Jesus se fez servo e Maria se chamou serva. Porém, o mundo inteiro experimentou a caridade de ambos; os santos exaltam sua dignidade; o coro dos anjos os venera. Oxalá te encontres também com eles, para que juntos, com incansável ritmo, entoemos hinos em honra do doce nome de Jesus e da dulcíssima Virgem Maria.

10) É belo e doce pôr-se ao serviço de Jesus e de Maria. Eles foram os primeiros em pôr-se a nosso serviço com muita fidelidade e humildade. Filhos dos homens, sirvam ao Senhor, que se dignou servi-los em tão grande medida; sirvam à Mãe de Deus, que tantos exemplos de santo serviço lhes deixou. É justo honrar a estes sumos patronos que podem ajudar-nos, posto que por meio deles se conhece e se executa a vontade de Deus.

11) Em cada momento implora a Jesus e Maria, que te defendam dos inimigos da alma e do corpo, e concedam os gozos eternos a quem são seus servidores. Recorre a Jesus e Maria em toda necessidade, manifestando-lhes teus pedidos, confessando-lhes tuas culpas e deplorando os pecados cometidos. Peça perdão, abrace a penitência, recupera a esperança, prometa emendar-te e tenha confiança na ajuda da graça. Se cais facilmente em pecado, esforça-te com diligência em levantar-te de novo. Jesus e Maria atenderão com gosto às orações do que os invoca, e não menosprezarão o lamento dos necessitados. Até os anjos estarão de festa quando, de todo coração, te hajas convertido de qualquer pecado e hajas abraçado uma vida melhor, como agrada a Cristo e sua bendita Mãe. Procura tão somente não ofendê-los, e eles não te negarão sua ajuda, rende-lhes a devida honra e te tomarão em seu cuidado com o maior esmero.

12) Oração: A ti, Senhor Jesus, e a vossa santíssima Mãe Maria, encomendo minha alma e meu corpo para que os guardem para a vida eterna. Ó Jesus e Maria, minha única esperança, que em toda tribulação e angústia me socorra sua piedade. Vocês são meus poderosíssimos patronos, dignos de serem amados mais que todos os santos. Eu, pobre e peregrino nesta terra, não tenho a ninguém, entre todos meus amigos e conhecidos, que seja tão fiel e tão amado como vocês, em quem confio.

---------------
de Maria nunquam satis"
"sobre Maria nunca se falará o bastante"
---------------
(KEMPIS, Tomás de. Imitación de María: Libro Tercero, Capítulo I. pág. 84 - 90)

Nenhum comentário:

Postar um comentário