terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Consolar-se da Cruz pela Cruz


Consolar-se da Cruz pela Cruz; arrimar-se nos desfalecimentos àquela Cruz que nos oprime; deixar-se banhar pelo sangue de Jesus, ao qual misturamos o nosso; não ter nenhum outro confidente e não ser o Deus que fere, e sob os Seus golpes redobrados conservar-se ainda de pé como a Mãe das dores, stabat Mater: poucos cimos mais elevados na subida do Calvário. Porém as almas que são chamadas nos sofrimentos do dileto têm de galgá-lo, nele manter-se ainda, e, pelas suas chagas mais do que pelos seus lábios, cantar o cântico do amor indefeso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário