sexta-feira, 17 de junho de 2016

Os supostos irmãos de Jesus



Uma objeção que os  protestantes fazem contra a virgindade da Mãe de Jesus é afirmar que ela teve outros filhos, além de Jesus.

Estando este assunto intimamente ligado à imaculada conceição, quero tratá-lo aqui separadamente, embora não figure nos números do desafio.

Maria SS. teve ela outros filhos, depois do nascimento de Jesus? Resolvamos a questão de um modo irrefutável.

Para dar a esta objeção uma aparência de verdade, escolhem no Evangelho umas passagens que falam de tais irmãos, sem compreenderem a significação das palavras, e sem conhecerem os costumes dos judeus destes tempos remotos.

Em diversos lugares o Evangelho fala desses irmãos. Assim São Mateus, São Marcos e São Lucas referem que estando Jesus a falar, disse-lhe alguém: eis que estão lá fora tua mãe e teus irmãos que querem ver-te (Mt 12, 46-47; Mc 3, 31-32; Lc 8, 19-20).

São João, por sua vez, fala de tais irmãos (Jo 7, 1-10).

Ao ler estes passos, os amigos biblistas, que só enxergam palavras, e não sentidos, concluem imediatamente: A Bíblia fala de irmãos de Jesus, então Maria teve outros filhos e não é pura, nem Virgem, como dizem os católicos.

Bela objeção, que mostra a supina ignorância dos biblistas. A invenção não é nova. Foi o herege Elpídio que, no século IV, moveu tal objeção, e foi São Jerônimo que a refutou pela primeira vez.


I. Exemplos da Bíblia

Se os protestantes compreendessem um pouco a linguagem bíblica, ou soubessem, pelo menos, confrontar certas expressões, veriam logo que entre os judeus, — como ainda hoje em certos países e línguas, — se chamam com o nome de irmãos não só os nascidos do mesmo pai e da mesma mãe, mas também os parentes próximos.

As línguas hebraica e aramaica não possuem palavra que traduza o nosso “primo ou prima”, e servem-se da palavra “irmão ou irmã”.

A palavra hebraica ha, e a aramaica aha, são empregadas para designar irmãos ou irmãs do mesmo pai, não da mesma mãe (Gn 37, 16; 42, 15; 43, 5; 12, 8-14; 39, 15), sobrinhos, primos irmãos (1 Par 23, 21), e primos segundos (Lv 10, 4) — e até parentes em geral (Jó 19, 13-14; 42, 11).

Os passos acima provam que a palavra irmão era uma expressão genérica, geral.

Jesus, tendo pois primos, não havia outra palavra em aramaico senão “irmão” para exprimir o parentesco.

Há muitos exemplos na bíblia. Lê-se no Gênesis que Taré era pai de Abraão e de Harão, e que Harão gerou a Lot (Gn 11, 27), que, por conseguinte, vinha a ser sobrinho de Abraão.

Contudo no mesmo Gênesis, mais adiante, chama a Lot irmão de Abraão (Gn 13, 3). Disse Abraão a Lot: nós somos irmãos (Gn 14, 14). — Ouvindo pois Abraão que seu irmão (Lot) estava preso, armou os criados, etc.

Da mesma forma Jacob era sobrinho de Labão como se deduz também no Gênesis, que afirma ser Jacob filho da irmã de Labão: Ouvindo Labão as novas de sua irmã, correu-lhe ao encontro, etc. (Gn 24, 13).

Pois bem, ainda uma vez o Gênesis, dois versículos mais adiante, põe na boca de Labão estas palavras dirigidas ao sobrinho Jacob: Então porque tu és meu irmão, hás de servir-me de graça? (Gn 29, 15).

Tobias, o moço, era primo de Sara; pois Tobias, o velho, pai do moço, e Raquel, pai de Sara, eram irmãos: Disse Raquel: conheceis Tobias, meu irmão? etc. (Tob 7, 4-5). — Ora, o jovem Tobias dirigindo-se a Deus: Senhor, sabes que não é por motivo de luxúria que recebo por mulher esta minha irmã (Tob 7, 4-6). O protestantes rasgaram este livro de Tobias.

Eis diversos passos que provam que a palavra irmão, na linguagem da Bíblia, significa, não somente irmãos, no sentido da nossa palavra, mas sim primos, sobrinhos, até ao terceiro grau.
II. Evangelho na mão

Vamos examinar a questão de perto e ver, pelas próprias palavras do Evangelho, que tais irmãos de Jesus são simplesmente seus primos.

Estes supostos irmãos são indicados por São Marcos: Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão e não estão aqui conosco suas irmãs?

Jesus tem pois irmãos e irmãs. Não são irmãos consanguíneos, mas sim irmãos primos de segundos, como o explica o próprio Evangelho.

Vejamos: O tal Tiago e Judas em vez de serem filhos de Maria SS. são filhos de Alfeu ou Cléofas. É São Lucas que no-lo afirma: Chamou Tiago, filho de Alfeu... E Judas, Irmão de Tiago (Lc 6, 15-16). — E ainda: Chamou Judas, irmão de Tiago (Lc 6, 16).

Quanto a José, São Mateus diz que é irmão de Tiago: Entre os quais estava... Maria, mãe de Tiago e de José (Mt 27, 56).

Eis agora Simão chamado irmão dos três outros.  Tiago, José, Judas e Simão (Mc 6, 3). Estes quatro supostos irmão de Jesus são, pois, verdadeiramente irmãos entre si, filhos do mesmo pai e da mesma mãe.

Falta agora só descobrir o nome dos seus pais. O Evangelho os indica: Chamou... Tiago, filho de Alfeu (Lc 6, 15). Alfeu ou Cléofas é, pois, o pai de Tiago e, em consequência, dos irmãos de Tiago, que são os três outros citados.

Conhecemos o pai. Procuremos agora a mãe deles. Conhecendo a mãe de um, é conhecida a mãe de todos, visto serem irmãos. Ora, o Evangelho é explícito: Entre as quais estavam Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago (Mt 27, 56).

Eis o mistério esclarecido: Tiago, José, Judas e Simão, tais pretensos irmãos de Jesus, são simplesmente filhos de Alfeu (Cléofas) e Maria (Cleofás), primos de Jesus, como indica o quadro que segue.

Os pobres protestantes confundem tudo... e não enxergam que tal Maria Cléofas é completamente distinta de Maria Santíssima, como faz notar o evangelista: Junto à cruz de Jesus estava sua mãe e a irmã (prima) de sua Mãe, Maria, mulher de Cléofas (Jo 17, 25).


III. Um dilema sem saída

Eis os pobres protestantes num dilema sem saída, e em flagrante contradição com o evangelho. Se tais irmãos são verdadeiramente irmãos consanguíneos de Jesus, é preciso concluir que Jesus não é filho de Maria SS., mas, sim, de Maria Cléofas e Alfeu.

Então Maria SS. não é mais Mãe de Deus, mãe de Jesus. Ora, o evangelho diz: Jacob gerou a José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama Cristo (Mt 1, 16). Jesus é filho de Maria SS. É claro e formal. Maria SS. era esposa de São José: de novo é claro e positivo.

Mas, então, ó protestantes, como combinar estes passos do Evangelho? Um filho pode ter dois pais e duas mães? Jesus é filho de Maria SS., que era esposa de São José, Tiago, José, Judas e Simão são filhos de Maria Cléofas e de Alfeu.

E tendes a coragem de dizer que estes últimos são irmãos de Jesus e filhos de Maria Santíssima!!!

É ignorância, ou então muita perfídia...

Procurai sair deste dilema! Ou o Evangelho mente ou vós caluniais descaradamente. E como o Evangelho é a palavra de Deus, infalível e certa, devemos concluir necessariamente que vós mentis e caluniais... ou que sois ignorantes obcecados, desconhecendo o que atacais e ignorando o que pretendeis ensinar aos outros. O dilema é humilhante, irrefutável.


IV. Genealogia de Jesus

Para poupar-vos, no futuro, erros tão grosseiros e ajudar-vos a compreender um pouco a Bíblia, cuja letra estudais sem penetrar até ao espírito que a anima, traço aqui a árvore genealógica de Jesus, baseada sobre a Sagrada Escritura, que vos mostrará clara e insofismavelmente toda a família de Jesus Cristo.

Por esta árvore vereis que os tais irmãos de Jesus, por serem filhos de Cléofas, que é irmão de São José, e por consequência seus sobrinhos legítimos, são simplesmente primos segundos de Jesus, no mesmo grau que São Tiago maior, São João Evangelista e São João Batista.

Falando destes assuntos, o Evangelho não os chama pessoalmente irmãos de Jesus. A razão é que os filhos de Cleófas, como sobrinhos de São José, esposo de Maria SS., e ao mesmo tempo primos de Jesus pela descendência do pai, têm para com Jesus um duplo parentesco: Pelo pai e pelo tio, São José. Os quatro primeiros são irmãos de Jesus; os quatro são seus irmãos parentes. Eis o que claramente resulta dos textos do Evangelho.

A seguinte árvore genealógica elucidará perfeitamente a questão, e dissipará qualquer dúvida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário