quinta-feira, 21 de junho de 2018

Meditação para o Dia 21 de Junho: Festa de São Luís Gonzaga

St Aloysius Gonzaga
Ó! Quão formosa é a casta geração” riza São Luís de Gonzaga. A própria aparência do pecado o assustava; uma palavra pouco decente, proferida na infância, sem compreender-lhe o sentido, causou-lhe tão viva dor, que na primeira acusação sacramental caiu desfalecido, e que nunca, durante toda a vida, falava a este respeito, sem chorar amargamente. Cada semana se confessava com tão viva contrição, que julgavam muitas vezes que ia expirar. Sufocava os primeiros ímpetos. Tomava tanto a peito seus exercícios de piedade, que até com intensa febre não os omitia… Compara-te a ele, antes que o Eterno Juiz o faça!

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Meditação para o Dia 20 de Junho: Sofrer por Deus

Nosso Senhor Jesus Cristo na cruz olha para o céu.
 É fácil seguir Jesus ao Tabor, isto é: à Sua glorificação. O amor é provocado pelo sofrimento.
“Quem não tomar sua cruz às costas e me seguir, não é digno de mim”

terça-feira, 19 de junho de 2018

Meditação para o Dia 19 de Junho - Sê fiel em tudo

thecatholicphotographer:  Night Fever in Sacramento last night. Each candle is from a random stranger that went inside the beautiful cathedral to light a candle from our street teams.



 Deus não só te conserva a vida, Ele também trabalha por ti. Assim no Santíssimo Sacramento Jesus reza por ti, oferece-se ao Pai, satisfaz por ti, expõe-se por ti a mil injúrias. Que exemplo para teu amor tão pequeno! Queres amar a Deus, mas sem que te custe coisa alguma. Teu amor não é grande, senão não fugirias do sacrifício. Falhar-te-á a ocasião, para provares teu amor? Não. O cumprimento dos deveres de teu estado pressupõe atenção, dedicação e atividade. És tão fiel no cumprimento de teus deveres quanto o exigem a grandeza, a amabilidade e a bondade de Deus? Feliz, se puderes afirmá-lo!

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Meditação para o Dia 18 de Junho: A Preparação à Santa Comunhão

ADORACIÓN DE LOS ÁNGELES



1. Jamais te prepararás à Santa Comunhão, como a dignidade deste Sacramento, de amor o exige. Pois, que és, para que prepares uma morada em tua alma, e quem é quem se digna visitar-te? Preparando-te para a Santa Comunhão, deves trabalhar para que não só o pecado grave, mas ainda o venial e toda inclinação voluntária, desapareçam de tua alma. Penetrar-te-ás de viva fé, que te faculta contemplar teu Deus escondido; banirás do coração toda a animosidade contra outros; aproximar-te-ás humilde, inflamar-te-ás de santo amor, cheio de vivos desejos, e solícito de embelezar a alma por atos das diferentes virtudes.

domingo, 17 de junho de 2018

Meditação para o Dia 17 de Junho: A transformação da sua Alma.

What are the Six Precepts, or Commandments, of the Catholic Church?
1. O que seria de nós, pobres e fracos pecadores, se não tivéssemos estas duas fontes de salvação: a confissão e a santa Eucaristia; aquela para limpar-nos, esta para nos alimentar! Deus, que conhece nossas necessidades, faz muitíssimo para a conservação e o desenvolvimento da vida corporal, ainda mais, porém, para a alma. Deu-lhe um alimento adaptado a sua natureza e dignidade. Jesus mesmo quis ser o alimento, Ele que reina à direita do Pai. É como que um aniquilamento, por excesso de amor.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Meditação para o Dia 15 de Junho: Mistério de Milagres.

santino-holy card""ediz. NB serie L n.517 GESU' BUON PASTORE
1. Sendo Deus poderosíssimo, não pode dar mais“, assim diz Santo Agostinho. Com efeito, na santa Eucaristia, Jesus acumula os milagres até ao infinito: milagre da Sua presença nos altares do mundo, onde há hóstias consagradas; milagre da presença até em cada parte de cada Hóstia Sagrada, por mais que tenha sido partida; milagre das aparências de pão e vinho, sem nenhuma substância que as sustente. Quanto Deus te ama, se tantos milagres faz por ti!

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Meditação para o Dia 14 de Junho: Jesus no Santíssimo Sacramento.

Jesus é o pão da vida!



1. Apesar de ser Deus sapientíssimo, diz Santo Agostinho, não soube dar mais que a Eucaristia“. Jesus quis voltar ao Pai, mas sem nos deixar; quis ficar em nosso meio, sua sabedoria faz tudo isto na santa Eucaristia. Oculta-se seus esplendores, sob os véus eucarísticos, deixando-nos o mérito de crer o que não vemos. Que abismo de amor, que sabe achar tais meios e praticar tais sacrifícios para nosso proveito espiritual!

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Meditação para o Dia 13 de Junho, Santo António de Pádua

Responso de Santo Antônio
1. a) Santo Antônio de Lisboa não é sem motivo o Santo popular de uma à outra parte da terra. Como São Luiz de Gonzaga, ele tem o lírio como símbolo de sua grande pureza, que guardou ilibada desde a infância até à morte. Amas e conservas imaculada, como ele, a santa castidade?

Duas pequenas Historias de Santo António de Pádua.

Resultado de imagem para S.Antonio

Para ler, pode tocar no titulo ou nas imagens, boa leitura.

1. Santo Antônio e o controle sobre o tempo




2. Santo Antônio e os Hereges








Santo Antônio, Confessor e Doutor.

Jew Drawing - Saint Anthony Of Padua Made A Wonder With Donkey Kneeling by Pieter De Bailliu (i) And Pieter De Bailliu I 



Santo António (português europeu) de Lisboa, internacionalmente conhecido como Santo António de Pádua, OFM (Lisboa, Pádua, 13 de Junho de 1231), de seu nome de batismo Fernando Martins de Bulhões, foi um Doutor da Igreja que viveu na viragem dos séculos XII e XIII. Primeiramente foi frade agostiniano, tendo ingressado como noviço (1210) no Convento de São Vicente de Fora, em Lisboa, indo posteriormente para o Convento de Santa Cruz, em Coimbra, onde fez seus estudos de Direito. 

segunda-feira, 19 de março de 2018

A vida de São José

Resultado de imagem para são josé



O GLORIOSO São José era descendente direto dos grandes reis da tribo de Judá, e dos mais ilustres patriarcas; mas sua verdadeira glória consistiu em sua humildade e virtude. A história de sua vida não foi escrita por homens, mas suas ações principais foram registradas pelo próprio Espírito Santo. Deus delegou-lhe a educação de seu divino Filho, manifestado na carne. Para este fim, ele esposou a Virgem Maria. É um erro evidente de alguns autores considerar que, de uma ex-mulher, ele fosse pai de São Tiago Menor, e de outros que nos evangelhos são referidos como irmãos do Senhor: pois havia apenas primos-primeiros de Cristo, os filhos de Maria, irmã da Virgem Santíssima, esposa de Alfeu, que ainda vivia no tempo da crucificação do Redentor. São Jerônimo assegura-nos[1] que São José sempre preservou sua castidade virginal; e é de fé que nada contrário a isto jamais ocorreu em relação à sua casta esposa, a Virgem Maria Santíssima. Ele lhe foi dado pelo céu para ser o protetor de sua castidade, para defendê-la de calúnias na ocasião do nascimento do Filho de Deus, e para assisti-la na educação d’Ele, em sua caminhada, fatigas e perseguições. Quão imensa foi a pureza e santidade daquele que foi escolhido como guardião da mais imaculada Virgem! Este homem santo parece ter desconhecido, por tempo considerável, o grande mistério da Encarnação, que fora nela forjado pelo Espírito Santo. Consciente, contudo, de seu próprio comportamento casto em relação a ela, era natural que uma grande preocupação surgisse em seu interior, ao descobrir que, não obstante a santidade do comportamento dela, com toda a certeza ela estava grávida. Mas sendo um homem justo, como as Escrituras o chamam, e conseqüentemente possuidor de todas as virtudes, especialmente a caridade e a mansidão em relação ao próximo, ele estava determinado a deixá-la em segredo, sem condená-la ou acusá-la, entregando tudo a Deus. Estas suas perfeitas disposições foram tão aceitáveis a Deus, o amante da justiça, caridade e paz, que antes que ele executasse o planejado, Ele enviou um anjo do céu, não para repreender qualquer coisa de sua santa conduta, mas para dissipar todas as suas dúvidas e temores, revelando-lhe o adorável mistério. Quão felizes seríamos se fossemos tão delicados em tudo que se relacionasse à reputação do próximo; tão livres de maus pensamentos ou suspeições, qualquer que fosse a certeza que fundamentasse nossas conjecturas ou nossos sentidos; tão controlados em usar nossa língua! Cometemos estas faltas somente porque, em nossos corações, somos desprovidos daquela verdadeira caridade e simplicidade da qual São José nos deu tão eminente exemplo naquela ocasião.